quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Mais uma vez, amor.

  Quem sabe, nem seja amor. É... Vai ver nem mesmo era amor. Quem sabe, era só mais alguém passeando pela minha cabeça... Vai ver, dei importância demais a coisa pouca. 
  A parte mais irônica de tudo é saber que você nem liga. Que você realmente não se importa. Irônica? Triste. Saber que por mais que eu mova o mundo por você, você simplesmente me quer bem. Nada de amor, nada de lealdade, nada de apego. 
  Carinho... É só isso. Carinho. De que adianta carinho, se por dentro, se aqui, no fundo eu preciso de muito mais? Droga, que droga você é. Vício que eu não posso largar ainda. Eu realmente preciso de você. Da sua cor pálida, dos seus arrependimentos, da sua sombra, do seu descaso. Preciso desesperadamente. A cada minuto.
  Morreria. Sim, claro, óbvio. Morreria por você. Com você. Não me importa. Só quero um pedaço meu aí dentro. Quero que você mais do que me queira bem, sinta minha falta. Me procure por todo canto. Corra descalço sentindo as dores de tentar me encontrar. Assim como eu senti. Tenta... Pelo menos tenta sonhar comigo mais uma vez.
  Amor ou não, falta muita coisa em mim longe de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário