quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Último amor


  Talvez... Bom, talvez você esteja realmente me evitando. Talvez você esteja querendo não ter que olhar nos meus olhos e admitir o que está acontecendo conosco. Por algum motivo você prefere cegar seus olhos e não assumir que as coisas estão complicadas. De algum modo, talvez prefira manter suas mãos longe de mim e nossos laços partidos. Se trancar no seu mundo e pronto. Ficar lá sentindo minha falta como se a culpa não fosse nossa. Como se o fato de estarmos tão vazios, tão longe um do outro, não passasse de medo.
  Medo de demonstrar o quanto nos queremos, o quanto fazemos bem um ao outro. Sei que você derramou tantas lágrimas quanto eu. Sei que você não dormiu nas noites em que eu também estive acordada. Nós dois sabemos muito bem que todo esse sofrimento, toda essa complicação é desnecessária. 
  Mas então, eu te pergunto, de que adianta tanta insegurança, tanto desencontro, tanta preocupação, se no fundo do que nós precisamos é simplesmente ter um ao outro? Se for para amar com dor, que seja esse então, meu último amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário