segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Ilusões III

  Foi instantâneo. Te ver e sentir que precisava de você sempre. Precisava do seu sorriso, do teu olhar, das suas palavras mansas que que me confortavam, mesmo que doídas, tristes, talvez até mentirosas, ainda eram suas, ainda era você ali.
  Mas o tempo passa, as coisas mudam, os sentimentos se desgastam, e agora, Os refrões não serão mais cantados, as fotos serão queimadas, as feições serão esquecidas, as declarações se manterão dentro de nós. As lágrimas secarão e os olhares vão se desencontrar, se perder por aí... O mundo se tornará um pouco mais cinza, as cicatrizes vão parar de doer e sempre haverá uma marca para me lembrar de tudo mais tarde. Meu lar se tornará um pouco mais morno quando você morrer dentro de mim.
  Meu coração confuso, perdido, esgotado, só me traz mais dor. Seu olhar doce não me pertence mais. Seu carinho, seu afago por entre os lençóis, sua voz meiga. Está tudo perdido. Tudo mesmo. Sua cor escorreu por entre meus dedos e eu não pude me esticar para te alcançar de novo.
  Mas seu beijo ainda está preso à minha boca. Seus braços ainda estão à minha volta e seu olhar encontra o meu vendo quem eu sou por dentro. Seu sorriso ilumina meu rosto e é impossível não me sentir no paraíso.
  Só espero que isso seja mais que uma brincadeira para você.




Nenhum comentário:

Postar um comentário