domingo, 10 de julho de 2011

Ilusões I

   Não havia amor, sentimentos, paixão, ou qualquer outro bom motivo que me ligasse a você. Era a raiva que me movia. O ódio, o cansaço, a tristeza, a falta de esperança para seguir. Eram apenas dois corpos nús entre os lençóis, um contra o outro.
  Tantas drogas corriam por nossas veias sem piedade, tirando-nos de órbita... Estava curando minhas dores e decepções ali. Criando mais mártir, me afogando em excessos, fugindo de tudo que era real e concreto.
  Mas não valeu a pena. No fim voltei ao mesmo mundo insano. Continuei a sentir as mesmas dores, o mesmo pânico, o mesmo medo, as mesmas preocupações. E o mesmo ardor dentro de mim. Como se estivesse me corroendo órgão por órgão, até não restar mais nada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário