sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Sonho.

  Um sonho lindo, onde tudo dava certo. Não havia discórdia, ressentimento, arrependimento, ilusões, medo, insegurança ou desamor.
  Um sonho doce, no qual você estava aqui sempre que eu me sentia só. Toda vez que eu olhava pro lado, você estava ali. A distância não atrapalhava em nada, a saudade não existia mais. O sentimento de culpa por não ter dito um único "eu te amo" pessoalmente não morava mais em mim.
  Eu demorei a perceber. A perceber não, a admitir. Admitir que o que eu sentia era realmente amor. Ah, se eu pudesse voltar no tempo... Refazer tudo um pouco mais cedo, correr pros seus braços antes que eles estivessem longe demais, sentir seu coração bater bem perto do meu antes que ele não batesse mais por mim.
  Mas foi só um sonho. Um misto de lembranças e desejos, que talvez eu nunca mais volte a presenciar.


quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Detalhes

  Não se sinta sozinho, não.
  Não crie problemas, não.
  Não falsifique sorrisos, não.
  Não minta para eles, não.
  Não ignore a você mesmo, não.
  Não os perca de vista, não.
  Não se abale por pouco, não.
  Não fuja do amor, não.
  Não se julgue como louco, não.
  Não encontre as mágoas, não.
  Não vá embora, não.
  Não pense que nada sabe, não.
  Não tema o espelho, não.
  Não se machuque de propósito, não.
  Não teste limites, não.
  Não ouça o que dizem, não.
  Não se preocupe com cicatrizes, não.
  Não caia na desistência, não.
  Não termine com o que não começou, não.
  Não ache que vou te abandonar, não.
  Não duvide do meu amor, não.
  Não insulte o para sempre, não.
  Não finja que não acredita, não.
  Não admita que perdeu, não.
  Não repare em detalhes, não.
  Não me ame tanto, não.
  Não olhe para baixo, não.
  Não se perca no caminho, não.
  Não fuja, não.
  Não tema o despreparo, não.
  Não se mate, não.
  Não acabe conosco, não.



Fim

  Estou caída. Meu coração insolente bate devagar, com toda a força que ainda lhe resta. Só escuto o som da minha respiração, mais nada. Faço todo o esforço possível para abrir os olhos, mas ainda não consigo. Meus membros entorpecidos se negam a responder meus comandos. Meu corpo pesa contra o chão.
  Mas o que está havendo? Há pouco era tão jovem, tão sadia e tão reluzente, como pode todo o brilho se ofuscar assim? O que foi que eu perdi, o que foi que eu fiz para me encontrar em tais condições?
  Por fora, estou intacta, perfeita, funcionando normalmente como deveria. Já por dentro, venho definhando, morrendo, acabando, me dissolvendo aos poucos, chegando próxima ao meu fim.
  Depois de tanto peso, dor e o mesmo sentimento de impotência perante a mim mesma, uma sensação de leveza me invade. Liberdade, finalmente liberdade. Livre de todos os fardos que carregava. Livre dos meus próprios pensamentos. Acabou, tudo terminou. Cheguei ao meu tão esperado fim.




Girando

  Foi só mais um dia perdido, desperdiçado, um dia inteiro, gasto pensando, pensando, pensando, pra chegar a lugar nenhum. Pra chegar a conclusão de que na verdade, eu não controlo nada. 
  O mundo, o meu mundo pelo menos, está fora de controle. Não que alguém coordene o que acontece, não que eu tenha dado o controle a alguém. Ele simplesmente está sem governantes. Girando por si mesmo, o tempo passa sem pedir permissão. As pessoas vêm e vão sem nem olhar nos meus olhos. O dia vira noite e eu nem me mexi. Não parece que estou vivendo, estou simplesmente sobrevivendo.
  As coisas vão mudar, logo.



Só você II

  Tantas noites mal dormidas que já até perdi a conta. Tantos problemas mal resolvidos que já desisti de correr atrás. Tantas discussões intermináveis que eu simplesmente me calo. A comida que simplesmente não desce. Tantos planos inúteis que eu nem fecho mais os olhos pra pensar.
  O mundo está rodando ao contrário do que eu esperava, e parece que nada que eu faça vai fazer a situação se reverter. Eu já estou cansando. Não quero mais sonhar, se ao abrir os olhos não vou chegar nem perto de realizar tudo. Não quero mais discutir, se as coisas não vão mudar. Não quero correr, se não vou a lugar nenhum no fim das contas.
  O que eu quero é conseguir dormir durante a noite, o que eu quero é conseguir me olhar no espelho e não chorar, o que eu quero é não te amar tanto, de modo que eu mesma me machuque, o que eu quero é não me odiar tanto por nunca alcançar o que eu esperava. O que eu quero é que você se importe comigo, o que eu quero é não ter que fingir que acredito de verdade que tudo vai dar certo.
  Cansei de tudo. Eu quero você, só você.








segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Insegurança

  Poderia continuar a falar dos seus olhos, do seu sorriso, do seu cheiro, do seu carinho, do seu abraço e de toda a infinidade de coisas boas que eu vejo em você. Mas nenhuma palavra que eu diga, vai conseguir descrever o quanto é bom somente estar ao seu lado.
  Posso tentar explicar de todos os modos, mas ainda não vou conseguir fazer você entender tudo que se passa na minha cabeça. O quão importante é você para mim.
  Tenho um receio imenso de te perder. Um receio imenso de fechar os olhos e quando abrir ver que você não está mais aqui. Pior ainda, que nunca esteve.
  Mas meus braços estarão sempre abertos. Tanto para te acolher, quanto para te deixar livre para seguir com a sua vida. Só te peço que não me deixe desavisada. Não me deixe no escuro. Quando tudo acabar dentro de você, me avise, para que eu guarde tudo que há dentro de mim.




Ilusões III

  Foi instantâneo. Te ver e sentir que precisava de você sempre. Precisava do seu sorriso, do teu olhar, das suas palavras mansas que que me confortavam, mesmo que doídas, tristes, talvez até mentirosas, ainda eram suas, ainda era você ali.
  Mas o tempo passa, as coisas mudam, os sentimentos se desgastam, e agora, Os refrões não serão mais cantados, as fotos serão queimadas, as feições serão esquecidas, as declarações se manterão dentro de nós. As lágrimas secarão e os olhares vão se desencontrar, se perder por aí... O mundo se tornará um pouco mais cinza, as cicatrizes vão parar de doer e sempre haverá uma marca para me lembrar de tudo mais tarde. Meu lar se tornará um pouco mais morno quando você morrer dentro de mim.
  Meu coração confuso, perdido, esgotado, só me traz mais dor. Seu olhar doce não me pertence mais. Seu carinho, seu afago por entre os lençóis, sua voz meiga. Está tudo perdido. Tudo mesmo. Sua cor escorreu por entre meus dedos e eu não pude me esticar para te alcançar de novo.
  Mas seu beijo ainda está preso à minha boca. Seus braços ainda estão à minha volta e seu olhar encontra o meu vendo quem eu sou por dentro. Seu sorriso ilumina meu rosto e é impossível não me sentir no paraíso.
  Só espero que isso seja mais que uma brincadeira para você.




domingo, 25 de dezembro de 2011

Coração

  Não vale a pena. Não mesmo. Tentar mudar o mundo por você, me machucar para não ver você cair, derramar minhas lágrimas pra nunca te ver chorar, contrariar o mundo para concordar sempre com você. 
  Não vale a pena largar os meus sonhos, mudar minha forma de pensar, de agir, só para tentar fazer com que você não desista de mim tão fácil. Não é certo deixar minha vida de lado para tentar amenizar as dores da sua, esquecer de mim para lembrar de você.
  Só que por mais que eu repita pra mim mesma mil vezes que não vale a pena, não vale a pena, não vale a pena, não vale a pena, eu ainda vou correr atrás de você até conseguir um "eu te amo" falso, que vai me fazer suspirar durante a noite.
  Isso não é amor. É medo. Desespero. Insegurança. Porque talvez, nunca mais vou achar alguém que faça eu me sentir desse jeito. Porque talvez, pela primeira vez eu tenha mostrado meu coração a alguém que já colecionava muitos e agora, ele pode cair e rachar a qualquer momento. Foi esse meu erro maior. Esconder ele, guardar por tanto tempo, proteger tanto, que por algum motivo, ele resolveu se libertar, sair, me dar motivos verdadeiros para querer viver.
  Não se pode trancar um coração por muito tempo.







sábado, 24 de dezembro de 2011

Dentro.

  Fechar os olhos. Quem dera, poder fechá-los sem ter que abri-los novamente.... Me despedir do mundo, entrar em um coma profundo, me alienar de tudo que acontece à minha volta. Me abster de todas as sensações boas e ruins, morar dentro de mim mesma, viver de sonhos, nunca mais voltar à realidade. Quem me dera, poder simplesmente fechar meus olhos e sumir. Acabar com tudo. Largar tudo que já vivi e o que poderia ainda viver. 
  Achar um túnel que leve ao meu interior e parar bem no meio. Estatizar ali. Não seria preciso ir mais longe ou recuar um pouco. Me conformar com metade do caminho e estacionar ali eternamente. Dirigida não por mim, mas ligada no automático. Parar de tentar me guiar e simplesmente ir, ir sem ver para onde...
  

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Medo

  O problema é que a gente não escolhe. Simplesmente acontece... Um abraço um pouco mais apertado, um sorriso um pouco mais gentil, e quando vemos, já não ficamos tão bem sem aquele mesmo olhar por perto.
  Eu sinto medo, não vou mentir. Sinto muito medo de me machucar de novo. Medo de não ser tão forte quanto eu penso que sou, medo de te magoar, medo de me perder, medo de que dê tudo errado. Talvez tenha até medo de que dê tudo certo e eu não saiba aproveitar como realmente deveria.
  Medo de assumir que preciso de você, quando você não precisa de mim. Medo de olhar no espelho e não me reconhecer mais. Medo de que um dia eu olhe para trás e perceba que perdi muito tempo apenas sentindo medo.
  


Bem no Fundo

  Não vou dizer que te amo. Não tão fácil assim.
  O que eu amo é o seu sorriso. Um sorriso que fascina naturalmente.
  O que eu amo é o jeito que você me olha como se eu pudesse realmente ser quem você precisa.
  O que eu amo é o modo como seus olhos brilham quando você fala do seu futuro.
  O que eu amo é o fato dos seus braços estarem sempre por perto me dando segurança.
  O que eu amo é cada centímetro do seu rosto que eu reconheceria mesmo em meio a uma multidão.
  O que eu amo, são seus lábios, tão doces e tão ternos, que prenderia os meus aos seus para sempre.
  O que eu amo, é poder escutar sua voz e ter a certeza de que você é real.
  O que eu amo é o carinho que só você sabe fazer em mim.
  O que eu amo, é o seu toque, tão macio como o de um anjo.
  O que eu amo é o que você faz comigo, me obrigando a pensar em você a cada minuto.
  O que eu amo, é olhar as suas fotos tarde da noite e tentar imaginar como alguém pode carregar um sorriso tão perfeito.
  O que eu amo é seu jeito tão errado que me deixa tão certa do que eu quero.
  Mas ainda não, não vou dizer que te amo, por mais que bem no fundo esteja certa disso.




quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Meus erros

  Andei defendendo as pessoas erradas... Confiando em meias palavras, caminhando por pontes instáveis, sem ao menos saber onde estava indo. Escutando vozes roucas demais pra discernirem verdades e mentiras. Dando a mão a desconhecidos, não, pior ainda, dando meu coração e minha alma a eles sem ver a verdade.
  Minha visão estava turva, embaçada, desfocada e eu não conseguia ver o que importava. Me deixei levar por falsas ilusões e me vendi muito fácil. Achava que tinha chegado ao topo, estava por cima, intocável, só que estava mais perto do fundo do que imaginava...
  E olha só onde eu vim parar agora. Meus vícios voltaram, minhas dores, pânico, nervosismo, inseguranças, medos e torturas estão de volta e eu me sinto presa àquele passado doloroso mais uma vez.





sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Verdades.

  Perdoe-me por não ser quem você esperava. Desculpe-me por não tirar a máscara antes, por só te mostrar a verdade má que eu escondia agora. Mas acontece que são feridas tão profundas, que demorarão a ser curadas e eu preferi escondê-las a te mostrar o quão grave elas podem se tornar.
  Não queria te preocupar com minhas perdas, muito menos te decepcionar com meus erros, mas eu preferi te mostrar quem eu sou e todos os fardos que carrego agora do que esperar até eles se tornarem pesados demais pra que eu possa esconder...
  Só me prometa que amanhã, quando eu acordar, você estará aqui do meu lado, admirando meu sorriso preocupado. Se não, me avise agora, pra que eu pare de sorrir antes que seja tarde demais.


terça-feira, 16 de agosto de 2011

Seria isso amor?

  Eu tinha jurado a mim mesma que não ia ceder. Que seus abraços seriam apenas abraços. Que seu olhar não me afetaria. Que sua risada nervosa não faria meus olhos brilharem... Jurei que palavras se resumiriam a sons sem valor. Fiz o máximo para evitar na minha memória as lembranças do seu rosto perto do meu e do seu cheiro invadindo meus pulmões e me viciando.
  Mas eu não consigo. Toda vez que te vejo passar, sem ao menos olhar para mim, eu sonho com tudo o que ainda podemos construir, com toda a alegria que eu exalaria se tivesse você comigo.
  Você se tornou meu porto seguro. Seu colo se tornou meu novo lar e se eu pudesse nunca mais iria para longe de você. A cada mísero "oi", meu coração já grita dentro de mim... Talvez seja cedo, talvez eu esteja exagerando como sempre, mas eu tenho que dizer que você desperta o melhor de mim e não há motivos pra eu lutar contra isso.



sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Coma

  Ansiedade é algo que já não sentia faz tempo... Já não sabia mais o que era contar os minutos para ver o sorriso de alguém, já havia me esquecido a sensação de calafrios , borboletas no estômago, minhas mãos trêmulas quando o rosto de um certo alguém se aproxima do meu...
  Você sacudiu minha vidinha morna me acordando e desligando o piloto automático que me comandava faz tempo. Os sorrisos já não são mais falsos, eu realmente me sinto bem quando a luz do Sol toca seu rosto e ilumina ainda mais sua áurea. E eu sinto que cada suspiro me ressuscita do meu antigo coma, que me mantia presa a ver e sentir só o que eu queria, só o que não me machucaria, um coma que só me deixava caminhar por caminhos seguros. 
  É, parece que por você eu vou arriscar mais uma vez...


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Te Querer.

  Sua alegria me traz de volta toda a felicidade perdida. Sua leveza me remete de a uma certa inocência que eu não via há muito tempo... Seu descompromisso com a vida me faz esquecer o ontem e o amanhã. Você para meu mundo, faz cada minuto durar 24 horas. 
  Porque você é diferente... É natural, puro, sem farsas, sem mentiras, não há nada a esconder. Você é real. E é disso que eu preciso. Alguém que me leve até as nuvens, e me traga de volta antes do tempo fechar.
  E bem lá no fundo, eu já sabia desde a primeira vez que falei com você que não seria passageiro, não seria em vão, não seria tolice te querer cada vez mais.








quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Medo

  A minha vontade é fugir de novo. Me esconder mais uma vez de tudo o que está a minha volta. Parar o tempo nos momentos bons antes que eles despenquem novamente. Ir embora mais uma vez pra não me deparar com aquelas feições tristes e acabadas que já vi no espelho.
  Não aguento mais fingir não sentir nada, fingir não me importar quando é sobre ela que você fala, fingir que nada aconteceu na noite anterior quando eu chorava sozinha, esquecida pela alegria.
  Quero ir antes que seu rosto se torne essencial pra minha existência. Não quero mais tremer ao sentir seu doce perfume, não quero mais sonhar sobre coisas que faríamos quando te encontrar, não quero ter medo de olhar nos seus olhos e me perder no brilho deles. Estou com medo de estar vendendo um espaço significativo no meu coração por muito pouco...






terça-feira, 2 de agosto de 2011

Amar cegamente.

  Ando com a cabeça tomada por você esses dias... Ando voando, sonhando acordada, perdida, viajando, pensando em tudo o que fizemos aquela noite. Relembrando cada toque, cada sussurro, os sorrisos, o seu gosto, o seu cheiro, a alegria de ter você ao meu lado. 
  Mas ao mesmo tempo, também sou dominada pela dor de saber que em nenhum momento você parou pra se lembrar de mim. Lembrar que naquele dia eu sorri de um jeito diferente, que você se tornou dono do meu mundo, que por mais que eu não demonstre é você que me faz acordar todos os dias e sair da cama confiante pra seguir com a minha vida e enfrentar todos os problemas. Sabe, nos meus sonhos, você também me ama. Você se importa de verdade comigo, me olha com carinho e eu nunca derrubei uma lágrima sequer por você.
  Não sei por qual motivo eu ainda continuo a me iludir. Mas me senti perfeita, quando percebi que eu podia te dar todo o prazer e felicidade que você merece. Só espero que não doa demais te amar tão cegamente.



sexta-feira, 29 de julho de 2011

Um Estranho no Meu Mundinho

  Foi tão rápido. Você entrou quietinho, devagar, meigo, e foi ocupando cada dia um espacinho maior no meu coração. Foi tomando conta dele, me passando confiança, se preocupando comigo, escutando minhas palavras em horas que nem eu mesma queria escutá - las, me entendendo perfeitamente em horas que eu sentia como se eu não me encaixasse direito no mundo...
  Você entrou na minha vida e não sei porquê eu simplesmente deixei, sem exitar. Te mostrei tudo o que guardava dentro de mim, te contei todos os medos, as dores, as falhas, as verdades, as conquistas, as alegrias e até as decepções que mais doeram em mim. Eu simplesmente peguei meu coração e entreguei nas suas mãos. Não me pergunte qual o motivo, pois nem eu sei. 
  O mais engraçado é que o tempo nem passou tão depressa pra gente e quando eu vi, você já estava lá, dentro da caixinha do " para sempre " sorrindo pra mim. 







                                                                                        Dedicado ao meu mais novo irmão, Matheus Portugal Lopes.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Tempo.

  É, o tempo tem curado meus cortes... Lavado as partes escuras dentro de mim, me deixado mais leve, amenizado as cicatrizes e tirado um pouco da dor no meu peito. Ele, tão paciente, tem me deixado pensar com calma, decidir, me organizar...
  E agora, com o coração apaziguado de todo o sofrimento, eu consigo respirar bem melhor, ver um futuro mais claro, entender o passado e descobrir que é o presente que importa de verdade. E no fim das contas, era só disso que eu precisava. Tempo. Pra descobrir que depois de tudo ainda é possível acordar com um sorriso no rosto...




segunda-feira, 25 de julho de 2011

Ilusões II

  É engraçado esse meu medo de perder o que nunca foi meu... Esse receio de não ter você comigo todos os dias, mesmo que eu nunca tivesse tido você de verdade. Essa minha necessidade de te olhar todos os dias, de falar com você, de me agarrar a um mísero boa noite a cada fim de tarde.
  Talvez esteja exagerando, vendo promessas onde só há palavras, sentimentos onde só há compreensão, vendo um futuro feliz onde só há um presente agradável... Mas tudo isso vale a pena, se é pra esquecer de um passado cheio de dor e mágoas.




quinta-feira, 21 de julho de 2011

Equilíbrio

  Quem sabe vocês estejam certos. Talvez eu esteja mesmo chegando a níveis de insanidade, abusando de excessos, errando de propósito. Me machucando só pela curiosidade de saber até onde eu vou aguentar a dor sem demonstrar. Quem sabe eu realmente precise de um tratamento. Pois estou ficando cega novamente, ou talvez só esteja fechando meus olhos...
  Do nada tudo ficou mais perigoso. O privado virou público, as verdades foram descobertas mentiras, os sonhos levados embora, banhados por lágrimas. Os corações destruídos pela verdade, as pessoas machucadas por palavras, atos impensados que terminaram em sangue e todo o amor empurrado pra dentro de um baú e escondido do fundo do armário.
  Existe uma linha tênue na minha vida entre o "eu" e o "outros" na qual eu tento sempre caminhar, pois me parece que nenhum dos dois lados é tão confiável para se estar todo o tempo. Mas eu ando perdendo o equilíbrio e pendendo pros lados... Meu medo é de cair e não conseguir voltar a me equilibrar...



quinta-feira, 14 de julho de 2011

Liberdade.

  Eu admito. Eu perdi. Não quero mais fingir que sou boa nesse jogo, porque não sou. Não vou mais mentir, não vou mais tentar me enganar, não vou mais fugir da verdade. Simplesmente desisto, porque a persistência não é lá minha melhor amiga. Já perdi tantas vezes, que eu desisto. Eu que sempre achei estar por cima, descobri qual é de verdade a minha posição.
  Cansei de me esconder pra tentar não machucar as pessoas e acabar me machucando no final. Se eu já sei que não vai dar certo, então pra que me enganar tentando? A verdade é que eu nunca vou chegar no final com um sorriso verdadeiro no rosto. Então que eu lide com isso.
  Não vou mais cantar se minha vontade é morrer. Não vou mais te dar a mão se minha vontade é te empurrar de um precipício e não vou mais dizer que te amo, se nem mesmo o amor eu conheço. Nem me calar eu vou se minha vontade for gritar. Não aguento mais toda essa repressão a favor dos outros. Chega. Agora sou eu quem vai cuidar de mim. Vou me libertar a cada dia, quando chorar, quando gritar, quando lhes enfrentar, quando ouvir minha própria voz me indicando o caminho.


quarta-feira, 13 de julho de 2011

Superando Você

  Eu já tinha desistido. Já não via mais a luz de onde eu me encontrava, meu coração fraco batia lentamente, sem vontade de me manter viva. Não encontrava força nem vontade de levantar e tentar seguir. Sem você não fazia sentido respirar, me sentir feliz, receber carinho de alguém, ou amar qualquer outro que não contesse sua áurea que me iluminava todas as noites.
  Mas um estranho apareceu na minha vida. Ele caminhava pelo mesmo caminho escuro que eu. Tinha as mesmas cicatrizes, as mesmas marcas, o mesmo sorriso destruído por mentiras e ele me deu a mão. Começamos a caminhar juntos e nossas almas apagadas, juntas, formaram um pequeno fio de luz fosca que com o tempo vai crescer e formar algo muito maior.
  E nesse dia, eu jurei que não vou mais sofrer. Vou fazer meu coração bater o mais rápido que ele aguentar, vou respirar todo o ar que puder roubar do mundo, vou correr até minhas pernas se cansarem, amar a todos que me amarem também. Vou viver minha vida como se a tristeza fosse apenas uma lembrança remota de um passado confuso.
  Eu ainda te amo, e sempre vou amar, mas quero lembrar de você como alguém que me fez sorrir todos os dias enquanto meus olhos se enchiam de lágrimas de dor.


terça-feira, 12 de julho de 2011

O que me resta.

  Me perdi. Não sei mais pra quem ou pra onde olhar, como me guiar. Você saiu e apagou todas as luzes. Não sei como vou viver sem sua essência misturada à minha. Já procurei pelo seu beijo em outras bocas, pelo seu carinho em outros colos, pelo seu sorriso em outros rostos, pelo seu calor em outras peles, mas nada nem ninguém se compara a você. Parece que ninguém é capaz de me levar tão alto quanto você me levava.
  Ficou tudo tão confuso, tão escuro sem você, que eu não percebi o abismo que estava na minha frente. Então numa tentativa tola de prosseguir, eu caí, terminei bem lá no fundo e é aqui que estou agora. Sozinha, com medo da próxima queda e a única coisa que me resta são as lembranças do que um dia foi um amor incondicional e inabalável.
 


domingo, 10 de julho de 2011

Ilusões I

   Não havia amor, sentimentos, paixão, ou qualquer outro bom motivo que me ligasse a você. Era a raiva que me movia. O ódio, o cansaço, a tristeza, a falta de esperança para seguir. Eram apenas dois corpos nús entre os lençóis, um contra o outro.
  Tantas drogas corriam por nossas veias sem piedade, tirando-nos de órbita... Estava curando minhas dores e decepções ali. Criando mais mártir, me afogando em excessos, fugindo de tudo que era real e concreto.
  Mas não valeu a pena. No fim voltei ao mesmo mundo insano. Continuei a sentir as mesmas dores, o mesmo pânico, o mesmo medo, as mesmas preocupações. E o mesmo ardor dentro de mim. Como se estivesse me corroendo órgão por órgão, até não restar mais nada.


Sofrer.

  Uma dor que se concentra dentro de mim. Uma dor que me calou. Dor que eu não vou mostrar a ninguém, porque ninguém merece sofrer comigo. Uma dor que infectou meu sangue e possuiu minhas veias.
  Dor que só passará quando o sangue escorrer pelos cortes e levar embora todas as lágrimas e mágoas que eu guardei.
  Dor só minha. Que vou esconder o máximo que puder, para que você não sofra por mim. Então, não venha me perguntar como estou, porque só escutará palavras sujas e mentirosas.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Despedida.

  Esqueça meu cheiro, meu gosto, meu olhar desesperado aguardando o seu pra me acalmar. Esqueça minhas palavras, meus gestos, minhas fotos e minhas cartas.
  Nossos sonhos, desejos, alegrias, esperanças, dores e amarguras. Apague tudo que construímos da sua memória o mais rápido possível. Não volte atrás do meu carinho, meus beijos, meu afago nem da minha compreensão.
  Delete minha imagem da sua memória, destrua os pensamentos que se referem a mim, as lembranças, os planos e tudo mais o que restar.
  Simplesmente me esqueça, porque diferente do que eu prometi, eu não vou voltar. Não sou eu quem te levará até seu final feliz, muito menos serei eu quem passará a eternidade ao seu lado...


Me desculpe...

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Dor.

  Não havia mais como. Ou porquê. Sem esperanças, sem lembranças, nem mesmo amor. Toda a amargura escorria por seus pulsos, todo o ódio, a repressão, a indignação dentro dele escorriam como lágrimas vermelhas que finalmente se libertavam.
  Enquanto ele sorria com a dor e chorava emocionado, finalmente se libertando, eu apenas o fitava tentando entender como ele nunca enxergou que havia alguém ali, que sofria com ele, sorria com ele, alguém que o protegia, alguém que podia mostrá-lo o verdadeiro sentido do amor.
  E ele simplesmente desistiu...


sexta-feira, 3 de junho de 2011

Só Nós Dois

  Todos me dizem que é errado, que eu não devo ceder, que eu não devo te dar valor, mas de certa forma, eu ainda vejo aquele olhar de menino, preso dentro de você... Um olhar que só eu conheço.
  Por mais que eu saiba que eu não devo voltar para você, por mais que eu não precise de você nunca mais, por mais que eu te olhe séria, ou te ignore, só nós dois sabemos que por dentro, eu estou sorrindo, com muito carinho, te dizendo que um pedaço de você ainda está preso em mim e talvez eu não queira que ele se solte nunca... Por que eu não quero te perder definitivamente.
  Mas eu nunca vou deixá - los perceber o quanto você ainda é especial para mim e sempre será...


segunda-feira, 30 de maio de 2011

Meu Vício

  Descobri que um não é o bastante, descobri que não me contento com pouco, que preciso de mais, preciso da dor e do prazer, da indiferença e do carinho, do desejo e das mentiras.
  Eu preciso de sempre mais. Tanto do conforto das suas palavras, quanto do ardor da sua pele na minha. Preciso ter você e sonhar com ele, preciso da sua respiração perto da minha, do seu coração batendo contra o meu, dos seus olhos evitando os meus, tentando esconder uma verdade má. Preciso das suas mentiras bobas, seus mistérios, seu perdão pelos meus erros... Preciso do seu sorriso, mesmo que falso, só para me manter viva.
  Porque você é tudo do que eu preciso, o meu maior vício, o mais perigoso, e ironicamente, o que me deixa mais feliz...


terça-feira, 24 de maio de 2011

Dias de Sol

  Você costumava ser um bom amigo. Sempre ao meu lado, me fazendo sorrir, segurando minha mão enquanto eu chorava por ele. Escutando minhas palavras, fossem elas lúcidas ou não.
  Eu me sentia bem em escutar você dizer “fica bem” a cada despedida. Me confortava saber que no dia seguinte você estaria lá, me olhando com carinho, tentando decifrar a expressão no meu rosto enquanto eu tentava decifrar seu coração.
  Todas as nossas músicas, as brincadeiras, as fotos, as lembranças se perderam com o tempo. Eu mudei, você mudou, nós nos afastamos e hoje, você é um completo estranho para mim.
  Mas eu ainda lembro com muito carinho daqueles dias de Sol em que caminhávamos juntos...


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Talvez...

  Talvez você estivesse certo em se afastar, em não olhar pra trás enquanto eu olhava e gritava seu nome. Talvez você estivesse certo em fingir que eu não existo e nunca existi, estivesse certo em procurar, um outro alguém, qualquer um menos complexo que eu e que vá te fazer menos mal.
  Talvez eu devesse te pedir desculpas por não olhar mais nos seus olhos, por fechar os meus, por te ignorar enquanto você chorava e tentava me fazer ver a verdade.
  Talvez a culpa seja toda minha, mas eu não queira admitir, talvez, eu esteja tão perdida a ponto de desistir, mas não conte para ninguém. Talvez eu só queira fechar meus olhos e quando abrir ver uma vida completamente diferente.
  Talvez eu esteja me escondendo tanto, que nem eu sei aonde aquela menina inocente foi parar... Talvez eu esteja confiando nas pessoas erradas e deixando as certas irem embora sem nem reclamar. Talvez eu esteja afundando desde o início, mas só tenha percebido agora.
  Eu espero ainda poder voltar ao topo, e quando chegar lá, poder sorrir de verdade, sem medo do amanhã. Eu espero poder olhar para o nada sem vontade de chorar e poder respirar sem culpa outra vez...


domingo, 22 de maio de 2011

Cansada de Fingir

  Cansada de fingir estar feliz quando não estou, de fingir gostar de pessoas que não gosto, de interpretar um papel diferente com cada pessoa, de ser onze pessoas diferentes dentro de uma só menina, de tentar não chorar na sua frente, de não conseguir te dizer tudo o que tenho vontade. Estou cansada de te abraçar e não sentir o carinho, de dizer que te amo sem ter certeza do que é o amor, de tentar ser perfeita pra pessoas que nem sequer sabem o que é a perfeição, cansada de mentir, cansada de não saber definir certo ou errado.
  Não quero mais essa vida tentando ser o que eu não sou, tentando fugir de mim mesma, me embolando cada vez mais numa teia de máscaras que eu visto todos os dias...



Desabafo.

  Meio perdida, confusa, invadida, não sei nem dizer na verdade como eu me sinto. Não sei se estou certa ou errada, acredito e desacredito nas pessoas em questão de minutos. As pessoas vão passando e remexendo nos meus sentimentos como se meu coração fosse um baú velho e as pessoas estivessem curiosas pra ver o que está dentro dele e no que eles podem mexer...
  Cansada demais de errar, de me perder, de me machucar e perder a voz toda vez que tento me explicar. No final, nem eu mesma me entendo. Nem quando fecho os olhos tenho paz, porque os sentimentos de culpa me invadem e a única razão de eu não desistir é o amanhã, que já me pareceu bem mais promissor...
  Assim, eu me escondo cada vez mais, vou mais fundo no meu mundinho, me isolando das pessoas, porque no meu mundinho ninguém entra, lá só existe eu e mais ninguém. Mas com isso as pessoas vão ficando distantes, sumindo, eu vou esquecendo elas, perdendo os momentos bons da minha memória, acabo queimando as fotos, rasgando as poesias, apagando lembranças de momentos perfeitos que eu não quero que voltem, só pra não me torturar comparando eles com o hoje.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Sem Você

  Vontade de fugir, correr pro seu colo. Chorar todas as mágoas, te contar todos os segredos, desmentir as mentiras. Limpar toda a sujeira de ódio, mágoa, raiva e incompreensão que está dentro de mim.
  Porque só você me entenderia, só você me acalmaria, só você choraria junto comigo, só você me ama o suficiente pra me abraçar nas horas certas e sentir todo o medo nas minhas palavras.
  Saudade é pouco pra descrever a vontade que eu sinto de mergulhar no ontem. Sem você está praticamente impossível respirar esse ar tão impuro sem me contaminar. E eu estou quase desistindo... Quando eu te disse o último adeus, não sabia que tanta dor viria depois.
  Já faz um tempo que eu tento caminhar pela estrada da vida, mas parece que eu ando tropeçando demais e a cada dia eu sinto mais falta dos seus olhos que me guiavam.
  Quando você se foi, foram levados juntos vários sentimentos que nunca voltarão sem você.
 

sábado, 14 de maio de 2011

Meu Paraíso

  Foi como finalmente encontrar meu pequeno pedaço do paraíso na Terra. Eu estava totalmente perdida, alheia ao que acontecia ao meu redor, só pensava no quão sortuda eu era de ter você naquele instante.
  E você sabia exatamente o que fazer. Parecia que de algum modo você tivesse lido meus pensamentos e soubesse exatamente como me encantar. Eu nem relutei, apenas me deixei ser hipnotizada por você.Esperar tanto tempo, acreditar que um dia eu teria você, finalmente valeu a pena.
  Seus lábios macios, carinhosos, suaves se encontraram com os meus, meio tímidos e então, lá estava eu, admirando meu pequeno pedaço do paraíso.


terça-feira, 10 de maio de 2011

Confusa.

  Está tudo errado, desorganizado, fora do lugar, perdido, sem cor e multicolorido ao mesmo tempo. Todos passam, alguns param, mas eu nem me incomodo mais. Eu entrei no meu mundinho, tranquei a porta e joguei a chave dentro de um lago muito, muito fundo cheio de medo e lágrimas.Não consigo mais definir certo e errado, pensar antes de agir, antes de falar. As palavras simplesmente escorrem de mim e chegam até você.
  Estou muito confusa, meio despersa, dormindo acordada, flutuando em alfa, sem vontade nenhuma de voltar pra esse mundo insano em que eu vivia.


segunda-feira, 9 de maio de 2011

Egoísmo

  Eu te amo até não poder mais nos primeiros cinco minutos, depois eu me distraio, saio do personagem, fujo por querer ou até mesmo sem querer... Meio perdida eu tento não te decepcionar, não te largar assim de qualquer jeito, inseguro, triste no seu canto.
  Seguro o ar até o último segundo que puder, mas eu preciso de mais, preciso liberar o ar dentro de mim e roubar um ar fresco, novo, ingerir o máximo que puder dele pra mandá - lo embora depois. Vou trocando o velho pelo novo. Sempre.
  Porque na verdade, eu só consigo amar a mim mesma. 



 

Tudo Errado

  Você todo perfeito, por fora impecável, por dentro a pessoa mais linda que eu já conheci. Mas eu nunca te quis pra falar a verdade. Eu sempre te admirei, te idolatrei, te guardava na minha caixinha do para sempre.
  Agora, você se apaixonou por ela. Uma menina fútil, egoísta, que nada tem pra acrescentar ao mundo. E você está prestes a cometer o maior erro da sua vida, vai se entregar a ela e ela vai te jogar fora. E eu não sei se tenho o direito de te impedir, mas a minha vontade é de empurrar ela num precipício pra nunca mais você lembrar dela e se machucar de novo.
  Eu não consigo parar de pensar no quanto está tudo tão errado e como eu sou incapaz de parar isso. São os seus sentimentos e os dela. Na verdade eu não deveria nem estar me metendo nisso. Mas é involuntário o modo como eu me sinto responsável pela dor que você vai sentir, como se eu devesse te impedir bem agora. Talvez porque eu saiba como é essa dor de ser incorrespondido e só queira te proteger ...


sexta-feira, 6 de maio de 2011

Só você

  Meus dias andam parados, incompletos, sem graça. Não há mais paixão em respirar como antes, não há mais alegria nos meus sorrisos, não há esperança no futuro, não há verdade nas minhas palavras, o agora é palido, insípido, sem vida.
  O que me resta são as lembranças. A saudade me tortura a cada dia mais, e eu sinto como se tudo isso estivesse muito errado, mas não houvesse nada que eu pudesse fazer para mudar alguma coisa.
  Eu tinha tudo, tudo mesmo, mas não fazia ideia. Eu tinha você, todos os dias, rindo comigo, brincando comigo, como duas crianças inocentes devem ser. Você me mostrou seu mundo, e eu te dei o meu. Nós dois abrimos as portas do universo juntos, crescemos, amadurecemos, mas eu sinto como se tivesse me perdido no meio do caminho, enquanto você está quase atingindo a perfeição. Eu me desfoquei dos meus objetivos, até certa hora em que nem eu sabia mais quem eu era. Você é meu equilíbrio.
  Infelizmente, só você pode me trazer a esperança, a alegria, a verdade, a vontade de viver tudo que eu puder. Pelo que eu estou vendo, ainda falta muito, pra chegar o dia em que eu vou poder te olhar sem ter medo de no dia seguinte não te ter do meu lado.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Com Você

  É mais que perfeito olhar nos seus olhos e saber que eu posso contar com você, te ter sempre comigo. Ter aquela esperança tola de que todas as nossas promessas e nossos sonhos bobos irão se realizar algum dia.
  Dançar na chuva, olhar as estrelas, escutar o mar, assistir as luzes da cidade passarem enquanto o vento bagunça meu cabelo, cantar músicas que só a gente conhece, tudo fica mais perfeito, mais completo, mais feliz com você.
  Nosso caminhar no mesmo ritmo, nossos abraços eternos, coisas que só você entende sobre mim e as coisas que só eu entendo sobre você, meu sorriso meio desajeitado quando te vejo, meus olhos cor de avelã como você diz, que se enchem de brilho quando penso em você, nunca vão morrer.
  Por mais que o tempo passe e leve tudo embora com ele, um pedacinho de você vai estar sempre guardado em mim, essa sensação única sempre estará comigo guardada num lugar especial.
  Um lugar em que poucos conseguiram chegar, poucos conseguiram tocar, e poucos permaneceram. Não sei se você lembra, mas naquela noite em que eu sussurrei aquela frase no seu ouvido, era a mais pura verdade saindo do meu coração e sendo transformada em três palavras.


quarta-feira, 27 de abril de 2011

Independência

  E se eu te disser que agora é tarde demais? E se agora eu não precisar mais de você? Porque talvez eu tenha encontrado alguém que realmente me merece, que me ama, que cuida de mim... E não vai adiantar se arrepender, tentar se redimir porque não, eu não vou voltar atrás, não dessa vez.
  Eu já jurei pra mim mesma que dessa vez eu vou ser realmente forte, vou fazer isso sem ajuda de ninguém, vou seguir em frente e ignorar tudo o que passou do mesmo jeito que você faz. E até que eu estou me saindo muito bem...
  Não tenta dizer que me ama ou que sente minha falta porque vai ser pior. Mentir é sempre pior. Você só está com ciúmes porque eu te esqueci, não corro mais atrás de você. Estou feliz, feliz de verdade. E você quase morre de saber que a minha felicidade independe de você.


" Eu te amo "

  Não consigo acreditar que realmente você esqueceu tudo, que não sente mais nada quando escuta aquela mesma frase, que não lembra de mim quando passa por aqueles lugares que eram sagrados pra nós...
  Não é possível que só eu ainda te olhe e sinta o mesmo carinho de antes, que você ignore a minha presença ás vezes. Porque parece tudo muito falso, artificial. Foram motivos idiotas que nos separaram, mas agora eu tenho motivos sérios pra te querer de volta. Eu te amo, e só agora me dei conta disso.
  Todas as vezes que confiei em você, todos os segredos que trocamos, não é possível que tenham sido em vão... Foram tempos ótimos, quase perfeitos, que eu queria resgatar. Mas parece que você é incapaz de ceder, de me perdoar. Uma pena, porque o que eu mais queria poder te dizer agora é que eu te amo.
 



segunda-feira, 25 de abril de 2011

Saudade

  Ás vezes a vida pode ser muito injusta com a gente. Pode tirar de nós pessoas que são insubstituíveis ou até mesmo nos deixar errar ao não dar o valor necessário que elas merecem. E essa é uma dor que só quem sente entende. Não tem como descrever, e nada do que as pessoas digam irá mudar o que realmente aconteceu. Infelizmente não.
  Mas não tem porque parar meio mundo por uma dor que eu tenho que sofrer. Não adianta parar de viver por algo que não tem como recuperar. As pessoas logo vão esquecer, mas eu não...
  E parece que ninguém liga de verdade, que todos esquecem de mim e sorriem como se nada de ruim tivesse acontecido. Isso me mata. Mas na verdade é um problema meu, e ninguém tem nada haver com isso.
  E por mais que a saudade seja maior que tudo, que a tristeza tome conta de mim por saber que nunca mais vou te ver, por não conseguir lembrar de te dizer "eu te amo" antes de você partir, eu espero que você lembre de mim e ainda me ame aonde quer que você esteja.

domingo, 24 de abril de 2011

Viajando

  É bom esquecer do mundo lá fora, é bom esquecer do resto da minha vida. Sentir o vento frio nos meus cabelos e assistir todas as luzes da cidade ficarem pra trás, sem saber aonde eu vou.Como se eu estivesse em um sonho, em êxtase, viajando, e sem hora pra acordar.
  Sorrisos puros e sinceros se projetam no meu rosto e eu me sinto leve, como se o mundo fosse meu e nada pudesse me tirar dessa sensação.Olho pro céu e todas elas estão lá, me admirando do mesmo jeito que eu as admiro.
  Tudo está em harmonia perfeita, até que eu fecho os olhos, fecho os olhos para nunca mais abrí-los.


quarta-feira, 20 de abril de 2011

Ter você

  Eu juro que tentei não pensar nisso... Eu tentei ocupar minha cabeça com tudo, com qualquer coisa menos aquela cena. Mas era quase como um pesadelo que eu vivi acordada. Eu revia tudo na minha cabeça de novo, e de novo, só pra me martirizar ainda mais. O pior de tudo, é que você nem percebeu. Você nem ligou. Parece que até hoje você não viu o quanto me feriu com aquilo.
  Quando eu vi seus lábios nos dela, sua mão na dela, minha vontade era morrer. Sabe, deveria ser eu ali com você naquele instante. E não ela. Porque ela não te merecia. Mas pensando melhor, se você foi tão burro o bastante pra não perceber quanto valor eu te dei, então realmente vocês se merecem.
  Mas quer saber? Por mais que você tenha me magoado tanto, eu ainda consigo pensar naquela cena, e substituir os lábios dela pelos meus, posso quanse sentir como seria seu toque, seu carinho e pensar no quanto seria perfeito ter você mesmo que por poucos segundos.



terça-feira, 19 de abril de 2011

Aqueles dias...

Tem dias em que meu mundo parece girar bem mais devagar... Dias em que o Sol reflete no meu rosto e me dá aquele calor aconchegante de manhã... Dias em que eu já tenho uma trilha sonora tocando na minha cabeça... Dias em que tudo parece mais bonito... Dias em que me percebo apaixonada por você.


segunda-feira, 18 de abril de 2011

Por que você?

  Porque quando você aparece, eu me transformo, fico boba, rindo à toa... Porque quando você segura a minha mão, o mundo gira mais devagar, porque quando você sussurra no meu ouvido, eu sinto arrepios de um jeito que só você consegue fazer. Porque quando você me abraça e eu sinto o seu perfume, vêm mil lembranças na minha cabeça, como se eu te conhecesse desde que nasci.
  Porque quando você sorri, é impossível eu não sorrir também. Porque quando você me beija, é como se todos os meus sentimentos se misturassem e juntos gritassem uma só palavra: AMOR.

Afundar

Fechei os olhos para não ver,
Mesmo ciente de que ia acontecer.
Fingi não entender,
Só pra não te socorrer.

Deixei você errar,
Te vi se afogar,
Me recusei a mergulhar.
Só o que fiz foi calar.

Nesse meu silenciar,
Assisti teu afundar
Sem nada pronunciar.

Amor Reprimido

 Tão perto, mas tão distante ao mesmo tempo. Vejo que você está ali. Parado. Só esperando eu ir ao teu encontro, mas eu não consigo. Meu corpo congela, meus sistemas param. Não consigo chegar até você. Não consigo te tocar. Abro então meu sorriso mais sincero e te ofereço. Você aceita. Mas nós dois sabemos que sorrisos não são o bastante para gritar tudo o que há entre nós.
  Finjo não ligar, não querer saber. Mas a nossa música ainda toca nos meus fones. E é tão linda, que por um minuto eu desisto de tentar resistir e canto como se fosse a última que eu escutaria.
  Aí vem a noite, que eu gasto tentando te ignorar. Aparentemente funciona, mas bem no fundo, ainda há migalhas de um amor reprimido, interminado. Mas como é noite, eu prefiro dormir. Dormir pra nem pensar em voltar a esse amor. Pra reprimir tudo, pra guardar as lágrimas. Só assim, no dia seguinte, eu arrumo forças pra sorrir para você novamente.

Amor Bandido

  Eu  vou embora, chego tarde, peço perdão por ter te deixado. Você não me perdoa, mas me aceita com a condição de que eu não te deixe de novo.
  Mas minha alma anceia pelo novo, pelo desconhecido, como se eu precisasse sair das suas asas e correr o mundo sentindo todas as dores sem a sua anestesia, como se fosse muito errado acreditar em você sem ao menos duvidar.
  Você sempre põe a culpa em você mesmo, porque sabe que é assim que eu sofro. Com o teu sofrimento. Então, eu canso disso, saio, esqueço de você. Mas não resisto em olhar pra trás, onde eu te encontro me encarando pela janela do passado, com uma expressão triste de quem foi abandonado. Aí eu volto, porque do mesmo jeito que você não vive sem mim, eu também não vivo sem você.
  E essa história de amor bandido se repete a cada estação...




 

Covardia

 Quando finalmente tomo fôlego, tento falar. Mas só o que consigo fazer é te encarar e esperar algum sinal que mostre o quanto você está certo sobre isso também. Nessas palavras ditas, tão mentirosas, estão escondidas todas as verdades que queria poder te contar. O tempo corre. Já não há mais tempo nem para verdades ou mentiras. Só o que posso fazer é dizer adeus e depois tentar bloquear a sua imagem da minha cabeça.
  Vem a maior prova de todas. É agora que você me diz o quanto está certo sobre isso também. Mas não. Sua covardia, a minha covardia, nossa covardia nos sufoca, nos cega, nos abafa, nos consome. Pior. Ela nos cala. E por mais que nós dois estejamos certos de que nos gostamos, por algum motivo preferimos esconder tudo isso, sumir agora no presente com algo que seria lindo viver no futuro. É ai, então que eu bloqueio a imagem do seu rosto.